Poli tem vagas abertas para residência em técnicas de computação em nuvem

Alunos das áreas das Engenharias, Ciência da Computação, Sistemas de Informação ou graduação em áreas afins podem concorrer à Residência Tecnológica em Cloud Computing oferecida pela Escola Politécnica da Universidade de Pernambuco (UPE). As inscrições estão abertas até o dia 31 deste mês através do endereço eletrônico http://posgraduacao.poli.br. Os dez selecionados terão direito a uma bolsa de R$ 1,5 mil durante o período de oito meses.

A residência é uma parceria da Poli com a Sudene, dentro do “Programa de Capacitação para Consolidação de Novas Tecnologias de Computação”. O objetivo é formar profissionais com habilidades nas técnicas modernas de computação em nuvem (cloud computing). Cada aprovado vai desenvolver as ações dos projetos em órgãos do poder público e empresas da iniciativa privada.

De acordo com o professor Paulo Hugo Espírito Santo Lima, coordenador da residência, trata-se da primeira pós-graduação em Pernambuco sobre uma das tecnologias mais importantes da atualidade. Vai ocorrer de janeiro a agosto de 2021, tendo como instrutores tanto docentes da academia como profissionais das mais importantes empresas do estado.

Participam como parceiras do programa instituições como a Agência de Tecnologia da Informação de Pernambuco, o Tribunal de Justiça de Pernambuco, Companhia Pernambucana de Saneamento e Empresa Municipal de Informática do Recife, além de empresas como a Valcann, Accenture Technology, Claro, Avantia Tecnologia e Engenharia, Neurotech e USTORE Software.

Secti promove parceria entre a UPE, Accenture e Google para Programa de Formação Profissional

Foto e texto: Secti

A Universidade de Pernambuco (UPE), o Google e a Accenture, empresa multinacional de tecnologia da informação com sede no Recife, firmaram parceria para execução conjunta de uma extensão tecnológica para alunos de graduação. A ação faz parte do Programa de Extensão Tecnológica (PET), criado e gerenciado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação de Pernambuco (Secti), que tem o objetivo de promover parcerias público-privadas para formação de estudantes universitários nas áreas de STEM+C (termo em inglês para designar Ciência, Tecnologia, Engenharia, Matemática e Computação). O acordo foi assinado nesta sexta-feira (18).

Serão destinadas 30 vagas e o curso contará com 30 horas de encontros virtuais, mais 80 horas de conteúdo online oficial do Google. Entre os participantes, serão selecionados estudantes para imersão no ambiente da Accenture, que receberão auxílio através de bolsas no valor de R$ 1.200,00, custeadas pela empresa de TI. Os interessados deverão se inscrever até 31/12/2020 pelo link http://bit.ly/pet-data-analytics, preencher o formulário, anexando cópia do histórico obtido pelo sig@ da UPE e Curriculum vitae destacando as habilidades em programação, língua inglesa e outras experiências anteriores. As aulas terão início em 11 de janeiro de 2021.

Para o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação de Pernambuco, Lucas Ramos, a parceria visa fortalecer a formação de alunos em nível superior voltado para as demandas do mercado de trabalho. “Dentro dos ambientes de inovação identificados em Pernambuco, vamos atrelar as ações de formação junto às instituições de ensino superior, estreitando as relações com as empresas, a exemplo da Accenture. Estamos monitorando todas as etapas de formação dos nossos estudantes, a fim de promover, de forma rápida e eficiente, a inserção desses jovens no mercado de trabalho”, destacou.S

Segundo o diretor executivo da Accenture Recife, Luiz Fernando, a imersão desses alunos da UPE na multinacional vai ajudar na construção de uma formação acadêmica mais voltada para as necessidades do mercado. “Hoje, temos um déficit gigantesco de mão de obra capacitada no setor de tecnologia, sobretudo no momento de transformação que a sociedade está vivendo. Então, formar essas pessoas se tornou algo mais crítico e urgente do que já era antes, pelo próprio curto ciclo de vida das tecnologias. Estar conectado em iniciativas dentro das universidades, e com outros parceiros como o Google, faz com a gente consiga formar melhor as pessoas, mais rapidamente e já no início do ciclo universitário, com aderência à demanda de mercado muito maior do que tradicionalmente era feito nas formações anos atrás”, explicou. “É essencial que as empresas estejam casa vez mais associadas as universidades, auxiliando na formação voltada para o mercado”, completou Luiz Fernando.

O reitor da Universidade de Pernambuco, Pedro Falcão, destacou a iniciativa pela inserção precoce dos alunos no mercado de trabalho. “Essa é mais uma ação da UPE para fortalecer as parcerias necessárias para dar a melhor formação aos estudantes da UPE”, ressaltou.

Campus Petrolina oferece residência inédita em Fisioterapia Hospitalar

O Campus Petrolina da Universidade de Pernambuco (UPE) recebe inscrições, até o dia 27 deste mês, de interessados em concorrer a uma modalidade pioneira de especialização no Vale do São Francisco. Trata-se da Residência em Fisioterapia Hospitalar com ênfase em Cardiorrespiratória. O objetivo é formar fisioterapeutas especialistas para o atendimento de médio e alta complexidade de atenção à saúde, tanto individual como coletivo, em ambiente hospitalar sob a forma de treinamento supervisionado em serviço com dedicação exclusiva. 

São duas vagas, com pagamento de bolsa mensal de R$ 3.330,43. De acordo com o coordenador do curso de Residência em Fisioterapia, Victor Ribeiro Neves, os trabalhos serão realizados em Petrolina e também na vizinha cidade baiana de Juazeiro. 

De acordo com as informações do edital, a formação será associada à prática baseada em evidência científica para que o profissional possa escolher os mais promissores métodos e técnicas de avaliação e intervenção terapêutica em fisioterapia para a melhor tomada de decisão clínica.

O pedido de abertura da primeira residência uniprofissional em Fisioterapia foi registrado em fevereiro e surgiu da demanda deste curso da UPE, que tem quase 15 anos. A instituição oferece Mestrado e Doutorado na área. 

Conselhos da UPE fazem, de forma conjunta, a última reunião do ano

Os gestores da universidade de Pernambuco (UPE) participaram, nesta sexta-feira (18), da última reunião do ano em uma sessão conjunta do Conselho Universitário (CONSUN) e do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe).

O reitor Pedro Falcão e a vice-reitora Maria do Socorro de Mendonça Cavalcanti comandaram a votação de 19 itens incluídos na Ordem do Dia, a maior parte questões administrativas relativas aos campi da instituição. O destaque foi a aprovação, por aclamação, da concessão do título de doutor Honoris Causa ao mestre popular Manoelzinho Salustiano.

O reitor Pedro Falcão aproveitou o encontro virtual para destacar as ações da UPE neste ano, principalmente no enfrentamento da Covid-19. Ele agradeceu a todos os profissionais que se dedicaram ao atendimento no complexo hospital da instituição e também aos professores e estudantes que tiveram que se adaptar a um novo formato de aula por causa da quarentena.

Campus Mata Norte tem seu primeiro Doutor Honoris Causa na UPE: Manoelzinho Salustiano

FOTO: Sandra Simone Moraes de Araújo/Reprodução

O reitor da Universidade de Pernambuco (UPE), Pedro Falcão, assinou na manhã desta sexta-feira (18) a resolução 026/2020, que concede o título de Doutor Honoris Causa a Manoelzinho Salustiano. O mestre popular e atual presidente da Associação de Maracatus de Baque Solto de Pernambuco teve seu nome aprovado por aclamação na última reunião conjunta do ano dos conselhos Universitário (CONSUN) e de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe) da instituição.

Trata-de da mais alta distinção da UPE. O título de Doutor Honoris Causa é concedido a pessoas eminentes, que não necessariamente sejam portadoras de um diploma universitário, mas que tenham se destacado em determinada área (artes, ciências, filosofia, letras, promoção da paz, de causas humanitárias etc), por sua boa reputação, virtude, mérito ou ações de serviço que transcendam famílias, pessoas ou instituições.

Manoelzinho Salustiano torna-se o décimo nome de uma lista que tem personalidades como o escritor Ariano Suassuna, o poeta Patativa do Assaré, o compositor Geraldo Azevedo, a economista Tânia Bacelar e o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva.

De acordo o professor adjunto do Departamento de História da Universidade de Pernambuco, Campus Nazaré da Mata, Carlos André da Silva de Moura, trata-se de um reconhecimento que a UPE presta ao conhecimento compartilhado por quem não teve acesso ao ensino superior. Ele e mais dois professores do mesmo departamento, Mário Ribeiro e Sandra Simone, estiveram na reunião do CONSUN/Cepe para destacar a importância da concessão do título a Manoelzinho Salustiano. O pedido oficial foi encaminhado pela diretora do Campus Mata Norte, Maria Auxiliadora.

Filho mais velho do mestre Salustiano - um dos principais nomes da cultura popular brasileira, falecido em 2008 – Manoelzinho iniciou a sua imersão na cultura popular ainda criança. Além de dirigente de maracatu, ele é conhecido também pelo seu trabalho de bordadeiro de estandartes e pela habilidade em unir as agremiações em torno da valorização de suas manifestações artísticas. Antes inimigos, os brincantes trocaram a violência, às vezes até com ocorrência de mortes, pela solidariedade.

"Este título é um reconhecimento de uma vida na luta pela cultura popular. Esse título não é só meu, é de todos os mestres de terreiro que lutam para preservar uma cultura que precisa ser cuidada", disse Manoelzinho. Veja o depoimento dele em vídeo clicando aqui.

O nome de Manoelzinho Salustiano também concorre ao título inédito de “Notório Saber” que a Universidade de Pernambuco (UPE)  concederá a partir de 2021, reconhecendo os conhecimentos vindos de tradições indígenas, afro-brasileiras, quilombolas e outras manifestações, inclusive artísticas. Outras universidades brasileiras também já tomaram esta iniciativa, valorizando a experiência cultural além do universo acadêmico. A cerimônia oficial de entrega do título de Honoris Causa ocorrerá no próximo ano.

Os doutores Honoris Causa da UPE

1) Luiz Inácio Lula da Silva - Campus Garanhuns (Resolução 029/2009)

2) Ariano Vilar Suassuna - FCM (Resolução 016/2013)

3) Geraldo Azevedo de Amorim - Campus Petrolina (Resolução 010/2016)

4) Xu Lin - Instituto Confúcio (Resolução 011/2016)

5) Antônio Gonçalves da Silva "Patativa do Assaré" In Memoriam - Campus Petrolina (Resolução 031/2017)

6) José Guido Corrêa de Araújo - FCM (Resolução 030/2018)

7) Renato Medeiros de Moraes - ESEF (Resolução 007/2019)

8) Crisna Teodorico dos Santo - Campus Garanhuns (Resolução 019/2019)

9) Vera Lúcia Samico Rocha - ESEF (Resolução 012/2019)

10) Manoel Salustiano Soares Filho - Campus Nazaré da Mata (Resolução 026/2020)